“Refogado” é indicado como patrimônio imaterial da cidade

“Refogado” é indicado como patrimônio imaterial da cidade
16 de outubro de 2015 Sumara Mesquita

 “A nação refoguense está em festa. É o reconhecimento da grandeza do maior bloco da região”, celebra a diretoria.

O bloco carnavalesco Refogado do Sandi, que em 2016 completa 22 anos, deve ser reconhecido como uma das maiores manifestações culturais de Jundiaí com o registro de patrimônio imaterial. Por meio da lei 564 (complementar à lei 443/2007), sancionada pelo prefeito Pedro Bigardi em setembro, serão regulamentados os registros de bens imateriais na política municipal de preservação do patrimônio histórico e cultural.

O vereador Rafael Purgato, que preside a Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, Cultura, Desporto, Lazer e Turismo da Câmara, é autor do projeto de lei. Segundo ele, a lei 443 garante a proteção ao patrimônio material, mas não faz menção ao patrimônio imaterial. “Com a nova lei vamos poder formalizar o registro de manifestações como o Refogado do Sandi, o Clube 28 e o Paulista Futebol Clube”, disse.

No último dia 2 de outubro, a diretoria do Refogado do Sandi, representada pela advogada Gisela Vieira e a professora Iliana Mendonça, reuniu-se com o vereador para saber mais detalhes do projeto e o processo de registro. Acompanhado do diretor de Patrimônio da Secretaria de Cultura, Donizete Aparecido Pinto, Purgato explicou que o Bloco deverá protocolar o pedido de registro no Paço Municipal e apresentar uma documentação ao Compac, Conselho Municipal do Patrimônio Cultural, comprovando sua importância e seu valor para a cultura da cidade.

Para Gisela Vieira, o registro vai eternizar a história do maior bloco carnavalesco da cidade. “Nossa alegria é imensa ao ver o Refogado sendo reconhecido pelos poderes públicos e, principalmente, sendo abraçado por toda a região. O Refogado do Sandi é, sem dúvida, a maior manifestação cultural do Aglomerado Urbano”, afirma Gisela.

A advogada ressalta que o Refogado não tem fins lucrativos e por isso não é formalizado como entidade. “Nem temos CNPJ, porque era isso mesmo que o Erazê Martinho queria. O Refogado é uma manifestação livre, independente e desprendida. Nunca aceitamos patrocínio, justamente para que ele continue sendo uma manifestação puramente de tradição da cultura popular”.

A professora Iliana celebra o reconhecimento do maior bloco da história da cidade. “A nação refoguense está em festa por mais essa condecoração. Nosso registro, sem dúvida, vai abrir as portas para que outras manifestações culturais também sejam reconhecidas”.

O gigante da cidade

Fundado em 1994 pelo publicitário e jornalista Erazê Martinho, o Bloco Refogado do Sandi fez seu primeiro desfile com cerca de 50 pessoas. “Foi um mico gostoso”, lembra a porta-bandeira vitalícia, Rita Rodrigues. O Bloco sai sempre na sexta-feira de Carnaval, com concentração em frente ao Gabinete Rui Barbosa, sempre às 16 horas em ponto, pegando todo o comércio da cidade aberto. Em seu último desfile, os organizadores contabilizaram a presença de pelo menos 15 mil foliões. “Nem Erazê sonharia que o bloco atingiria essa dimensão. O Refogado é de fato o gigante cultural da cidade”, comemora Gisela.

Serviço

A primeira festa oficial do Refogado do Sandi acontece no próximo dia 16/10, a partir da 20 horas, no Clube Estrela da Ponte, com show de Wandão e Grupo Sambaú. Os convites individuais custam R$ 10 e R$ 15 por casal. As festas no Estrela são realizadas para arrecadar fundos para o desfile, que em 2016 acontece no dia 5 de fevereiro.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*