Parceria: Clinicão & Gato e Mata Ciliar operam Siriema

Parceria: Clinicão & Gato e Mata Ciliar operam Siriema
2 de junho de 2016 Sumara Mesquita

 

Veterinários das duas instituições se uniram para recuperar pata da ave. Cirurgia serviu como intercâmbio de conhecimentos.

No último dia 30/5, os veterinários do Clinicão & Gato receberam uma paciente de uma espécie que não costuma circular nos corredores do Hospital. Uma Siriema, resgatada pela Ong Mata Ciliar, fraturou a pata esquerda e precisava de cuidados urgentes. Por meio de uma parceria, as duas equipes se uniram para fazer a cirurgia que teve como objetivo imobilizar o membro e reabilitá-lo. A cirurgia, que durou mais de uma hora, foi bem sucedida.

As veterinárias da Mata Ciliar, Jéssica Paulino e Larissa Paulino, contaram com a expertise do ortopedista José Francisco Saito, acompanhado do cirurgião Sérgio Iwanaga, que identificaram o melhor método para tratar a lesão da ave. De acordo com as veterinárias da Mata Cilliar, o tratador avisou que a Siriema havia se ferido dentro do próprio viveiro no final de semana. “Por isso precisávamos de um especialista em ortopedia”, disse Jéssica.

Com pinos colocados em pontos específicos da pata, a Siriema ganhou uma imobilização que vai possibilitar maior estabilidade para a regeneração. “Agora vamos mantê-la em um recinto que não permite muito movimento. Ela será medicada com analgésicos, antibióticos e antinflamatórios”, disse a veterinária Larissa. Segundo ela, em um mês será possível saber o resultado efetivo da cirurgia.

Todos os cuidados foram tomados para que a Siriema não sofresse ainda mais. A veterinária e anestesista Thaís Zominham dedicou atenção especial ao monitoramento e à indução do anestésico. “Por se tratar de uma ave, tudo é bem diferente. Estamos acostumados a operar cães e gatos, mas animais de outras espécies são um desafio e um grande aprendizado”, avaliou.

Com a operação de um Falcão no currículo, o veterinário  Sergio Iwanaga conta que esse tipo de cirurgia envolve alguns riscos, pois os ossos das aves são pneumáticos, ou seja, não são maciços quanto os ossos humanos, por exemplo. Por essa característica, acabam se tornando mais frágeis e mais suscetíveis a fraturas. O médico veterinário José Francisco Saito conta que os implantes ortopédicos tendem a equilibrar essa fragilidade. “Os implantes que usamos para as aves precisam ser em maior número e em espessura diferente dos que implantamos nos mamíferos, justamente para compensar essa fragilidade óssea”, conta.

Parceria

Para o veterinário José Francisco Saito, a parceria com a Mata Ciliar é um intercâmbio de conhecimentos. “Geralmente a Mata Ciliar nos traz animais de vida livre. E nosso papel é recompor esses bichos para que possam retormar essa vida no ambiente natural”, relata.

O ortopedista diz que quando um animal raro aparece no Hospital torna-se uma motivação para toda a equipe. “Cada vez que vem um bicho desses, toda equipe fica envolvida. Vira uma empolgação, uma alegria total, porque sai da rotina”.

Sobre a espécie

As siriemas são aves de porte médio, pertencentes à família dos cariamídeos (Cariamidae), da ordem dos cariamiformes (Cariamiformes). Seu habitat natural são zonas de pradaria e florestas abertas. Geralmente, são adotadas por donos de plantações e pastos. Elas são predadoras naturais de insetos, lagartos, pequenas cobras e roedores. Também se alimentam de pequenas frutas e têm hábitos diurnos. Na natureza, costumam viver entre 15 e 20 anos.

veja álbum de fotos em www.facebook.com/clinicao.hospitalveterinario

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*